Categories

A sample text widget

Etiam pulvinar consectetur dolor sed malesuada. Ut convallis euismod dolor nec pretium. Nunc ut tristique massa.

Nam sodales mi vitae dolor ullamcorper et vulputate enim accumsan. Morbi orci magna, tincidunt vitae molestie nec, molestie at mi. Nulla nulla lorem, suscipit in posuere in, interdum non magna.

Nasceu nosso Raio de Sol!!

Parto do Francisco (link para o vídeo no YouTube)

Bem, lá vamos nós…

Confesso que a demora para escrever este relato é mais por não saber por onde ou como começar do que por falta de tempo, afinal, entre uma mamada e uma troca de fraldas o Francisco me dá tempo suficiente para fazer as coisas.

Acho então que vou começar por onde o Renato começou, e torcer para conseguir escrever um relato e não um livro… Nunca fui muito boa com resumos, acredito que as coisas devem ser claras, em seus mínimos detalhes!! Vamos ver. Apelo também pela paciência de quem vai ler!

8:36 da manhã de sexta-feira, 09 de Outubro, o Renato estava na cozinha pronto para ir trabalhar e preparando meu “leitinho”, todas as manhãs antes dele sair tomamos café da manhã juntos!

Senti um incômodo, mais uma daquelas contrações que estava sentindo a dois dias, cada vez mais fortes, cada vez mais próximas, e que durante a noite foram tantas. Tinha tido uma consulta na noite anterior com a Priscila, ela me examinou, mediu minha pressão, que pela primeira vez na minha vida deu um pouco alterada, mas ela disse que mediria depois e aí já estava normal… Ouviu o coração do Francisco, disse que estava ótimo, e durante o exame notou que eu estava tendo uma contração, me perguntou de quanto em quanto tempo acontecia, não fui muito precisa, mesmo porquê eu não quis me prender demais a elas, disse que estavam mais intensas e com mais frequência, daí como que para a Priscila entender o que estava acontecendo tive 3 seguidas enquanto ela estava com a mão na minha barriga!

A Priscila me disse então que eu estava em pródromos, que já estava em trabalho de parto, que se eu fosse outra já estaria ligando para ela e para a Márcia desde o dia anterior… Quando ela disse isso da forma mais calma possível minha reação foi apenas sorrir e dizer: ” Ah! Que bom…”

Nos orientou a prestar mais atenção nas tais contrações, me disse para dormir bem, descansar e ligar para ela avisando qualquer coisa, para que ela não corresse o risco de chegar em Sorocaba (onde ela mora) e ter que voltar!! Quando ela estava de saída o Renato e eu dissemos que achávamos que o Francisco nasceria dia 10 (era dia 8!)…

Enfim, manhã do dia seguinte, Renato fazendo nosso café, me virei de lado para sair da cama, então uma daquelas contrações, e um “plof” e num segundo eu estava toda molhada, sentindo um líquido quente escorrendo rapidamente!

– Rêêê….

– Oi!

– A bolsa estourou!!

Lembro que ele sorriu!

– Liga pra a Márcia!!

Foi o que ele fez, ligou para a Márcia, e ela perguntou se tinha saído muito líquido, qual a cor, e o orientou a marcar as contrações; quando estivessem ritmadas era para ligar para ela de novo e ela passaria um pouco mais tarde para me examinar!!

De repente comecei a tremer, mas a tremer muito, quase convulsionando, eu já tinha experimentado esta sensação antes, daí eu disse que queria falar com a Márcia, o Renato colocou o telefone no viva voz e eu gemi:

– ” Márcia, eu estou com medo!”

E ela muito calma e tentando me entender:

-” Medo de quê Luzi?”

Minha resposta totalmente sincera:

– ” Não sei….”

Acho que aí ela entendeu, e muito calma e carinhosa me disse:

– Luzi ESTÁ TUDO BEM, não precisa ter medo, o que vai acontecer é que o Francisco vai nascer, só isso! Olha só, eu vou passar aí para te examinar para você poder ficar mais tranquila tá bom???

A frase “está tudo bem” era tudo que eu precisava ouvir! Em uma das consultas eu avisei a Márcia que se durante o parto eu ficasse com medo, assustada, era só ela me dizer que estava tudo bem, que o Francisco estava bem e eu com certeza me acalmaria. Demonstrando toda a atenção e cuidado que ela teve com a gente durante as consultas ela se lembrou do que eu havia dito!

Fiquei mais calma, mas continuei a tremer, sim era medo, um medo enorme, terrível, imenso, tenebroso, que fazia meu corpo todo tremer de um modo que eu não podia controlar, mas como eu disse eu já conhecia esta sensação. Era aquele medo que já senti outras vezes quando algo que eu desejava muito estava para acontecer! Ao longo da minha vida aprendi que não temos maior inimigo do que nós mesmos, e que costumamos nos auto-boicotar para não realizarmos nossos sonhos e continuarmos eternamente tentando, lutando, sem nunca conseguir…

Já fui assim, mas agora não, lembrei disso e das palavras da Márcia: “o Francisco vai nascer, é isso!!”

Sim, era isso, o filho tão esperado, uma vida inteira de luta em busca da minha própria família, a vontade de dar um filho para aquele homem maravilhoso com quem casei por toda a eternidade…

Lembrei de quando eu era criança e meus pais brigavam e eu tão pequena sentia raiva deles, como se eles estivessem me tomando alguma coisa, me negando alguma coisa. Foi primeiro com ódio que jurei aos 6 anos que um dia eu teria minha família e que tudo seria diferente do que eu via em casa! Foi com ódio que quando apanhava da minha mãe ou não podia brincar eu jurava que quando eu crescesse e tivesse filhos eu seria diferente com eles!!

Foi com ódio que no meio do mato do sítio onde eu morava eu pedi para que Deus me levasse embora, pois não aguentava mais tanto sofrimento, tanta falta de amor em minha casa, pedi que Ele me levasse caso eu não fosse realizar meus sonhos, caso este Amor que eu desejava não existisse… Fechei os olhos e fiquei esperando morrer, e como não morri fiquei feliz, pois eu acreditava de verdade que Deus tinha me ouvido, e se eu não morri era porque um dia eu teria o amor que desejava…

E aí o ódio se foi, decidi que se não houvesse no mundo esta família feita de amor e para o amor que eu idealizava, seria eu mesma o primeiro exemplo então… E acreditei com todo o meu ser que Deus havia me escutado, e se me deixou na Terra era porque me ajudaria a realizar este sonho…

E, daí então, foi mesmo uma vida dedicada ao amor e a tudo o que ele podia significar, tudo para mim sempre esteve em segundo plano, estudos, trabalho, bens materiais, profissão, tudo… Primeiro em mim estava minha busca pelo amor, e não quero banalizar dizendo que estava procurando um marido… Não, não era isso, eu queria o homem perfeito para mim, aquele que Deus havia preparado como me estava preparando, queria um COMPANHEIRO!! Alguém com a mesma busca, e que também acreditasse e desejasse aquilo que eu sonhava!

E como sofri, como me decepcionei, como me enganei em minha jornada!! Por vezes cheguei a pensar que eu estava fazendo a minha parte no “acordo” mas Deus não estava fazendo a Dele por alguma razão!!

E por sofrer tanto em nome deste sonho, deste amor, em vez de ser um exemplo bom eu estava é sendo um exemplo de que de fato aquilo que eu pregava: família, felicidade, plenitude, não existia…

E isso me fazia sofrer ainda mais. Gritei tanto a vida toda para todo mundo aquilo em que eu acreditava e todos só me viam sofrer. Minha mensagem era a oposta.

Mas Deus estava sim fazendo a parte Dele, eu é que além de não ver, estava atrapalhando, já conhecia o Renato, ele queria ficar comigo e eu cega não quis, precisei quase perdê-lo para sempre, precisei de 4 anos de muita dor e sofrimento para que nos reencontrássemos e finalmente ficássemos juntos!!

E aí pronto!!! Parte do sonho estava realizada, pude mostrar para as pessoas que valia a pena acreditar no Amor, que a vida a dois pode ser maravilhosa sim!!

Só faltava para nós filhos…

Opa!! Filhos!! É isso!! Este é um relato de parto!!

Pedi para o Rê ligar para a Sandra, minha grande amiga, companheira de dez anos de dores, alegrias, aventuras… Ao dizer para ela que a bolsa tinha rompido, nós duas começamos a chorar. Ambas sabíamos o que estava para acontecer!! Nós nos amamos muito, e acima de tudo a alegria de uma é a alegria da outra!!

Choramos enquanto ela me dizia que ía ficar rezando, e que era para eu ficar calma porque tudo daria certo!!

Quando desligamos, ainda fiquei alguns minutos naquela tremedeira, mas enfim, me dei conta que era hora de outra coisa, afinal, ao longo dos meses de gravidez eu tinha feito um lindo plano de parto, mas fiz um plano de parto não para entregar para um médico, ou mesmo para minhas parteiras, pois eu confiava plenamente nelas, conhecia bem suas maneiras de realizarem seu trabalho sem interferirem em nada, já havia conversado com elas sobre tudo que era do meu interesse!

O plano de parto que fiz, que elaborei minuciosamente durante meses eu entreguei ao meu próprio corpo, à minha mente e ao meu Coração… E segundo este plano de parto eu havia deixado claro meu desejo de que o indicador de que meu trabalho de parto estava mesmo começando seria o rompimento da bolsa! E eu nunca quis um parto rápido, ou demorado, eu queria apenas o parto que fosse o mais indicado para mim, como mulher, como ser humano, o parto que eu sabia que seria como foi minha própria vida até hoje…

No entanto eu sabia que duraria entre 8 e 12 horas, e eu achava isso o ideal…

Levantei rápido, troquei de roupa e corri para o quarto do Francisco, nosso apartamento é bem pequeno e a Márcia havia pedido para desocuparmos o berço e a cômoda dele para que colocassem seus equipamentos, suas coisas!!

Rapidamente tirei porta fralda, kit higiene e trocador de cima da cômoda, coloquei tudo dentro do armário, e no berço deixei só o colchão, pronto estava tudo liberado para usarem!

E corri até a cozinha tomar meu enorme copo de leite com quick que o Renato tinha preparado para mim e comi um pão, pois algo me dizia que eu ficaria bastante tempo sem vontade comer de novo…

Nisto o Renato ligou para a Hilda, tia do Francisco que já havíamos convidado para assistir o parto, pois ela sempre esteve muito presente em nossas vidas, desde antes de casarmos e estava participando muito intimamente e cheia de alegria de tudo que dizia respeito ao Francisco!

A ligação estava ruim e ela não estava ouvindo, o Renato como sempre muito brincalhão ainda ficou fazendo graça com isso, e eu ri muito, lembrei do que Ina May disse sobre a importância do riso no trabalho de parto!

E a partir daí, nisto tudo não se passaram nem 30 minutos, o Renato começou a marcar as contrações, isso enquanto corria para desmontar a mesa de jantar da sala, pois seria no espaço em que ela estava que nossa piscina de parto seria montada dali a pouco!!

Resolvi deitar para esperar a Márcia; já estava sentindo contrações bem fortes e de 3 em 3 minutos!!

E quando vinha uma, gritava para o Renato que corria marcar o horário e me abraçar ou me dar a mão. (nem sei como ele conseguiu desmontar a mesa ao mesmo tempo!!!)

A Márcia chegou, me pegou deitada de lado, daí ela perguntou se tinha sido a posição mais confortável que eu tinha encontrado, se eu não preferia ficar de pé ou andar. Eu disse que estava andando até quase aquele momento e queria ficar um pouco deitada, ela me pediu para virar pois queria ver a cor do líquido amniótico, e verificar se tinha sido uma ruptura completa ou não!

Quando me virei fui “pega” por uma contração, bem quando estava deitava de barriga para cima, e doeu muito, a Márcia comentou que era a pior posição, e eu ainda disse: “Meu Deus, e é a posição mais usada em partos hospitalares, não é à toa que a mulherada desiste!!!”

Ela olhou e viu que a bolsa tinha rompido inteiramente e falou que não ía me fazer exame de toque pois evitaria risco de infecção, faria só mais tarde!

Por mim tudo bem, até então ela nunca tinha feito nenhum exame de toque em mim, e eu achei melhor mesmo, dar mais um tempo para meu corpo preparar uma dilatação que me deixasse bem tranquila quando eu ficasse sabendo.

Ela me disse que estava tudo bem, que iria até a casa dela resolver umas coisas, para continuarmos marcando as contrações e que ela voltaria um pouco depois!

Voltei a deitar, pois senti vontade! O Renato continuou a marcar as contrações e a desmontar a mesa, sempre acudindo quando eu chamava!

Dalí a pouco tempo as contrações já estavam de 2 em 2 minutos e cada vez mais fortes, mais doloridas! Chamei o Renato e falei para ele ligar para a Márcia a apressando, pois ela estava tranquila achando que ainda iria demorar, mas que tudo alí já estava indo bem rápido, e disse para ligar para a Priscila!

Ele ligou e eu gemi para a Márcia vir logo, ela disse que não ía mais fazer as coisas que pretendia e estava vindo para minha casa já!!

Continuei sentindo dores muito fortes, mantendo a calma, apenas me entregando a tudo que estava sentindo, sabendo que meu corpo estava trabalhando bem, mas queria que a Márcia chegasse logo!

Veio praticamente junto com a Hilda, que imediatamente começou a organizar algumas coisas em casa, e quando viu que minhas dores estavam bem fortes veio me massagear, e depois até foi esquentar água para fazer compressas nas minhas costas!

Era bom, o toque das mãos dela, do Renato, a toalha molhada, mas confesso que não aliviavam quase nada, a sensação que eu tinha é que doía cada vez mais!!

A Márcia se aproximou e eu novamente disse que estava com medo, ela me deu duas “bolinhas” homeopáticas para colocar debaixo da língua, não perguntei o que era, se ela estava me dando era algo bom e útil!

Daí ela me disse:

– Lú, eu vou te examinar agora, afinal, já engrenou e agora não tem mais volta, vamos ver como está a dilatação!

De novo concordei, se ela achava que era uma boa hora para sabermos como andava a dilatação então eu tb estava pronta para saber!

Lembro que o exame doeu, mas só de falar lembro também a sensação estranha e gostosa de sentir que eu estava toda aberta por dentro!!

Ela segurou meu rosto e disse:

– Lú vc já esta com 7 centímetros!!!!! Olha que bom!! Vc está indo muito bem está ouvindo??? Está muito bem!!!

Ela disse isso enquanto eu ainda sentia dores fortes, mas por dentro algo em mim se iluminou!!! Sinto vontade de chorar só em escrever!! Primeiro exame de toque, e 7 centímetros em praticamente 3 horas!!

Ainda fiquei pensando em como foi bom nunca ter feito nenhum durante a gravidez, fiquei pensando em como isso era a prova de que é um exame desnecessário, que só serve para criar ansiedade… Fiquei tão feliz em ver meu corpo trabalhando lindamente!!

Pensei comigo mesma: “puxa!! Mais rápida do que um Audi!! De 0 a 7 em pouquíssimas horas!!!” Não deu para contar a piada para ninguém pois isso eu pensava entre as dores, e só eu sorri internamente!! Eu estava muito comigo mesma!!

Totalmente entregue às minhas contrações ouvi quando a Márcia saiu do quarto e foi ligar para a Priscila, e já foi logo acelerando o Renato para montarem a piscina, pensei que ela havia percebido que tudo estava indo rápido!

Não sei quanto tempo se passou, mas logo a Márcia veio me falar para eu ir ao banheiro ver se tinha vontade de fazer cocô e em seguida podia ir para a piscina!

Fui ao banheiro, e depois o Renato sempre me apoiando me levou até a piscina, fiquei espantada como a sala estava diferente, o sofá havia sido afastado, a mesa havia desaparecido e alí, como uma mágica uma piscina linda, azul, cheia de água quentinha me esperando!!

Entrei e a sensação foi muito boa!!

Mas as contrações não davam trégua, intensas, rápidas, ás vezes uma emendava com a outra…

Neste meio tempo a Hilda foi até o mercado comprar umas coisas para a gente, especialmente água de coco pois eu sabia que seria crucial manter minha hidratação, quando ela voltou chegou praticamente junto com a Priscila!

Durante as contrações eu chamava pelo Renato que largava o que estava fazendo para vir ficar comigo! Quando segurava nas mãos dele ou de outra pessoa eu tinha noção que apertava, mas ainda lembrei de tomar o cuidado de não apertar com as unhas, que apesar de estarem curtas eu sabia que podiam machucar que estivesse alí me apoiando!!

Em algum momento a Márcia e a Priscila me sugeriram ficar de cócoras apoiada na beira da piscina, que aliás era bem larga. Me disseram para esperar passar a próxima contração e depois eu iria para a posição indicada, obedeci, fiquei de cócoras na borda da piscina, a água exercia uma pressão agradável e não senti nenhum desconforto nas pernas, mas quando veio a contração achei que fosse enlouquecer de dor!!! Veio muito mais intensa, muito mais forte, fazendo uma pressão incrível de cima para baixo, lembro de ter falado meio desesperada que daquele jeito doía muito mais!!

Daí a Márcia e a Priscila falaram que a posição ajudava o Francisco a descer mais rápido por isso doía mais, para eu continuar na posição!!

Bom, foi aí que eu entendi que elas não estavam sugerindo uma posição que doesse menos e sim uma que facilitasse o trabalho do meu corpo e que fosse mais fácil para o Francisco escorregar!! Então tá… Se a intenção não era diminuir a dor e sim ajudar o parto então eu ficaria mais!

O Renato ficou na borda da piscina me apoiando. Eu segurava na gola da camisa dele, e quando a contração vinha eu praticamente me pendurava no pescoço dele, e ainda me preocupava em não machucá-lo, ou pelo menos não machucá-lo muito…

A contração vinha em três movimentos de cima para baixo, e eu emitia sons de acordo com o movimento. Eu começava chorando baixinho, depois gemia e quando a contração chegava na parte mais baixa eu já estava urrando de dor…

E as contrações às vezes “colavam” uma na outra, até que a Márcia sugeriu que eu deitasse de novo para descansar um pouco, não falei nada mas dei graças a Deus por ela ter sugerido isso!!

O tempo todo eu estava ouvindo algumas coisas da conversa deles pela casa, mas eu não me fixava no que acontecia fora de mim, meu mundo se resumia à aquela piscina, me concentrei o máximo dentro de mim, em meu corpo e na dor em si! Na verdade eu tinha receio de ficar prestando atenção na conversa deles e de repente ouvir alguma coisa não muito boa, ou algum comentário negativo e isso me atrapalhar!! E embora quase não falassem me respeitando inteiramente, quando falavam eu não ouvia!! Ou ouvia mas tipo… não processava, como se estivesse escutando uma língua estrangeira que eu não compreendia… Nem acredito que consegui fazer isso!!

Mas em algum momento eu ouvi falarem sobre estarem com fome, sobre alguém já ter almoçado e incentivaram o Renato a comer um pouco!! E fiquei muito feliz, pois enfim então JÁ ERA HORA DE ALMOÇAR!!!!

Pois é… aquilo para mim foi uma ótima notícia, pois significava que o tempo estava mesmo passando, até então tinha medo de perguntar as horas e descobrir que não havia se passado quase nada de tempo, tinha medo de que a impressão de que já estava um tempão na piscina sentindo aquelas dores fosse falsa e descobrir que estava alterada e sem perceber que o tempo não tinha passado tanto quanto eu achava…

Mas pelo que ouvi já tinha passado da hora de almoçar, então isso era um ótimo sinal!! De novo não disse nada mas para mim aquilo foi muito bom!! Ainda ouvi quando o Renato comentou na cozinha que o feijão tinha sido eu que fiz na noite anterior, pensei:

“- Ai ai, e se alguém come e acha ruim???””

Afinal quem cozinha bem em casa é o Renato!!

Mas estava muito concentrada em minhas dores para falar alguma coisa!!

As dores estavam muito fortes, a Márcia veio até mim e disse para eu não ter medo da dor, não brigar com ela pois era uma dor amiga, uma dor que traria o Francisco para mim!!

Apenas concordei com a cabeça, não consegui dizer a ela que era exatamente como eu pensava e sentia, que eu havia me preparado exatamente assim, e que não estava com medo da dor, eu sabia que era boa e o que ela significava, fiquei com vontade de mandar ela ler meu texto sobre a dor do parto, assim ela ficaria mais tranquila sabendo o que eu pensava!! Mas novamente eu não disse nada, apenas gostei do fato dela ter falado…

Eu ficava de olhos fechados, ou, quando abertos, acontecia o mesmo fenômeno que com meus ouvidos, eu via mas não enxergava…

Tudo era meu corpo, tudo era minha dor, eu descansava nos intervalos e me preparava para suportá-la quando vinha!

Mas de vez em quando eu buscava os olhos da Márcia, e quando olhava para ela imediatamente ela me dizia que estava indo tudo bem… A Priscila também dizia, isso me tranquilizava e de novo eu me voltava para dentro de mim!!

Em algum momento a Márcia me chamou disse que depois da contração seguinte ía monitorar o bebê, fiquei na posição mais fácil para ela, e ouvi quando ela disse que o bebê havia passado super bem pela contração!! Que ele estava fazendo os movimentos procurando o caminho!! PRONTO!!! Mais uma ótima notícia, o Francisco estava realmente bem, fazendo a parte dele!! Fiquei emocionada imaginando o que ele estava passando na minha barriga, se movimentando, girando, sendo empurrado, recebendo menos ar quando a contração “nos” pegava!! Mas pensei no quanto tudo aquilo era lindo, mágico, milagroso!! Era nossa primeira “parceria”, Francisco e eu trabalhando juntos para o nascimento dele!! Eu confiei nele plenamente, e achei que desta forma ele também sentiria que podia confiar em mim, que eu faria a minha parte!! E que esta cumplicidade nos ligaria a vida inteira!! Meu filho e eu juntos por um ideal!! E pensei que o pai dele também estava alí “fora” nos apoiando, nos dando todo seu amor, sendo parte disto tudo junto com a gente, e que isso deixaria nossa família forte e unida para sempre!!

Depois a Márcia falou que era para eu colocar o dedo na vagina e sentir a que distância o bebê estava, aquilo me desagradou, sei que era lindo ela intervir o mínimo possível, mas eu não me senti muito confortável em fazer aquilo, e preferia que ela mesma fizesse!!

E ela fez, rápido mas doeu, ela me mostrou com os dedos o tanto que faltava para a cabeça aparecer, algo como 5 centímetros, achei que faltava pouco!

A Márcia me disse que a cada contração o Francisco descia mais, e quando a contração passava ele voltava um pouco, mas que aquilo que tinha evoluído não voltava atrás, na contração seguinte ele continuava de onde tinha parado antes!! Achei aquilo ótimo, mas novamente nada falei!!

Dor, dor, dor… A Márcia me falou para ficar na beira da piscina de novo, olhei suplicante para ela, pois eu sabia que doeria mais, mas ela disse que seria bom para o bebê descer o resto, então concordando que era mesmo o melhor apesar de mais dolorido fui para a beira da piscina, e lá novamente as contrações doeram muito mais!!

De repente achei que estava girtando muito, mas não conseguia evitar, lembrei de tudo que tinha lido sobre manter o períneo relaxado, e algo muito importante que eu estava fazendo desde o começo era não tensionar o maxilar, não trincar os dentes, eu fazia o possível para manter a boca aberta o tempo todo!!

E os sons que saíam, choro, gemido e urros eram tão naturais, eram tão espontâneos… Pensei que eu não era como as fêmeas do mundo animal que pariam em silêncio, eu afinal era fêmea do bicho humano, e como tal, paria assim… Achei até que depois ficaria com uma terrível dor de garganta pois o som que sáia era muito gutural, arranhando bastante a garganta!! Não me preocupei com isso, eram meus sons, meu barulho parindo, não tinha que ter vergonha ou me preocupar, estava doendo, e doendo muito, a cada contração eu praticamente me pendurava no pescoço do Renato, que com seu toque carinhoso se fazia presente ao meu lado, me apoiando, confortando, me lembrando que estava junto comigo, que esse era nosso sonho!

A contração vinha e eu a sentia em 3 movimentos, na parte alta da barriga, no meio e lá embaixo, e para cada movimento o som que eu emitia era diferente, começa chorando baixinho depois gemia e terminava urrando, como uma sintonia de movimento e som!

E estava doendo tanto, só não digo que doeu mais do que imaginei por que eu NUNCA perdi meu tempo imaginando como seria a tal dor do parto, apenas pensei e senti sobre seus significados para mim, naquele momento lembrei da tal peridural, pensei como seria ter o parto normal sem estar sentindo aquela dor tão forte.

Tínhamos o “plano B”, tínhamos um médico na retaguarda caso precisássemos de uma remoção de emergência ou para o caso de eu não aguentar e querer terminar o parto no hospital recebendo anestesia…

Tentação…

E esses pensamentos durante mais uma contração forte, mais choro, gemido e urro, mais dor na garganta e minha mente me lembrando que aquilo poderia ser evitado…

Deus!!! Me dê forças meu Deus!! Minha luta interna foi grande naquele instante fatal… Sim, fatal para nosso sonho, minha mente gritando mais alto do que eu que aquela dor poderia ser insana, mas felizmente meu Coração sussurrou e pude ouví-lo mesmo com toda aquela confusão interna!!

Ir para o hospital? Para eliminar a dor?? O preço a pagar seria tão alto… Custaria nosso sonho, custaria a tranquilidade do meu filho, ele não nasceria de forma totalmente natural, seria ele também afetado pela anestesia que eu tomasse, não nasceria na água, não teria as mãos do papai como sendo as primeiras a tocá-lo neste mundo, não ficaria em meu peito, não ficaria com o papai enquanto estivessem cuidando de mim, acabaria sofrendo sim alguma intervenção, não nasceria no território sagrado que é o nosso Lar…

Ir para o hospital? Para eliminar a dor?? O preço alto seria tirar do homem que amo o prazer de parir junto comigo o filho que tanto sonhamos, seria privá-lo de ser o primeiro a tocar no nosso filho quando ele nascesse!!

Meu Coração gritou dentro de mim naquele instante que NÃÃÃÃOOOOO!!!! Eu não pagaria este preço, eu não abandonaria nossos sonhos, não faria isso com nosso filho e com o Renato, não faria isso comigo mesma…

Estava tudo bem! O processo era natural, incluía dor, esta dor, a MINHA dor, na proporção e tamanho certos que eu e somente eu poderia aguentar!! Minhas parteiras queridas alí monitorando tudo, a Hilda me apoiando, o Renato comigo o tempo todo, o Francisco dentro da minha barriga encontrando o caminho rumo à Luz, tudo acontecendo exatamente como no meu “plano de parto”, certamente Deus estava fazendo a parte Dele… Oh céus!! Bastaria que eu fizesse a minha… E a mim cabia uma parte muito simples: não atrapalhar!!!

Sempre achei que a mulher conduzia o próprio parto da mesma maneira que conduzia sua vida!! Ou seja se sempre foi submissa e entregava as decisões importantes da própria vida para outras pessoas, mães, maridos, pais, etc, assim ela faria no parto entregando sua hora ao médico, se ela sempre fugiu das responsabilidades assim faria em relação ao parto, se sempre adiou decisões por medo de decepções, dores e sofrimentos, assim faria marcando uma eletiva para adiar a dor do parto para uma dor pós cirúrgica… e assim por diante!

Fiquei pensando em como minha teoria se aplicaria a mim mesma…

Fácil, minha vida sempre foi cheia de luta, repleta de sofrimentos para conseguir realizar meus sonhos, me entregava ao sofrimento e à dor e nunca desistia, e quando me considerava cansada e incapaz de continuar era quando ainda tentava uma vez mais e com mais força ainda… E lembrei principalmente o quanto eu mesma atrapalhei a realização de meus desejos, o quanto eu mesma interferi e acabei por atrasar tudo em minha vida, lembrei que a dúvida e o medo sempre foram meus maiores entraves!!

Medo eu não estava sentindo, mas a dúvida… Enfim, não, eu não podia desistir, não queria provar nada para ninguém, não era por orgulho, nem por vaidade que eu queria conseguir, era apenas por amor… Amor pelo meu filho, amor pelo meu marido, pela Vida…

Em minha vida apesar do sofrimento quando aprendi a lição mais importante todos os meus sonhos se realizaram lindamente, então seria assim naquele momento do parto!!

A lição mais importante que aprendi foi ter Fé!! Sim, Fé Verdadeira, em mim, em Deus, na Vida…

E não atrapalhar!

Sim… o melhor que eu podia fazer era ter realmente Fé! Sempre acreditei que podia parir meu filho, sempre acreditei em Deus, e acreditei na Vida! Então eu só precisava me entregar e não atrapalhar o que estava acontecendo!

Desde o começo eu já havia me entregado totalmente ao parto, mas agora era mais importante ainda que eu me entregasse e deixasse fluir tudo o que devia acontecer!

Afastei para bem longe de mim a idéia de acabar com a dor, e me entreguei inteiramente a ela! Sabia que tudo estava bem, que tudo que estava acontecendo era natural, que era tudo que eu queria… E dalí a pouco meu filho estaria sendo segurado pelo pai… Isso me deu uma força imensa para continuar calma!!

A Márcia falou que eu poderia voltar para a posição na qual eu estava antes!

As dores continuaram muito fortes, mas eu estava totalmente entregue a elas, como na estorinha do bambu e do carvalho diante o vendaval, o carvalho forte acaba sendo derrubado pela força do vento, e o bambu tão frágil se permite fustigar e se dobra diante a violência do vento, mas quando o vento passa ele está inteiro e pode se reerguer…

Como o bambu eu me entreguei à violência daquela dor, me curvei diante a força que atuava em meu corpo, e acreditei mais do que nunca que mais um sonho estava para ser realizado!!

Ouvia as parteiras me elogiando, dizendo que era assim mesmo que eu devia fazer a força, me davam parabéns!! E eu sem nada dizer para elas achava engraçado pois eu não estava fazendo nada!!! Meu corpo fazia tudo sozinho, em algum momento eu até disse para todos que eu não estava fazendo força que tudo estava acontecendo sozinho…

A cabeça do Francisco apareceu, a Márcia perguntou se eu queria ver, eu disse que não!

A Márcia perguntou de novo se eu queria ver, de novo eu disse que não, daí a Hilda disse que depois eu poderia me arrepender se não olhasse a cabeça do Francisco aparecendo naquele momento que não voltaria mais! Ela tinha razão, daí eu disse que queria ver, e a Márcia me mostrou com um espelho!!! Me impressionei, já estava aparecendo bastante da cabeça dele, mas nem olhei por muito tempo, logo veio mais uma contração!!!

Sempre que assisti partos naturais o momento da expulsão, da cabeça saindo era para mim um tanto angustiante… E para mim foi muito difícil!!

Pois sempre que eu estava me “acostumando” com a dor ela mudava, quando eu já toleva bem a dor da dilatação veio a dor do bebê descendo e encaixando, e quando eu achei que nada poderia doer mais veio o momento da expulsão com seu ” círculo de fogo”!!!

A Márcia disse para que na próxima contração eu fizesse força, e eu disse que não conseguiria! Afinal, eu nem tinha feito força nenhuma até então, apenas meu corpo fez tudo sozinho…

Estava doendo muito, ardendo, queimando mesmo, pensei que não haveria nome melhor para aquele instante do que “círculo de fogo”!!

Mas eu também sabia que o Francisco estava nascendo, que faltava muito pouco para ter nosso filho nos braços, mas realmente não conseguia fazer força, não sabia direito o que fazer, e a impressão que eu tinha é que ía me rasgar toda naquele momento, e acho que isso me deixou com um pouco de medo!

Mas os minutos passavam, eu tinha plena consciência de que a cabeça do Francisco estava praticamente toda para fora e que ele nasceria! Pensei então que eu não precisava ter medo, a Márcia como que adivinhando meus pensamentos disse isso, que não era para eu ter medo, que ele ía passar e ela estava protegendo meu períneo, daí pensei que tudo bem se tivesse uma laceração, lembrei que isso seria natural caso acontecesse, e que não era nada para temer!!

Decidi que já tinha sentido por tempo suficiente o círculo de fogo, que ía ajudar meu corpo a entregar meu filho para os braços do Renato, e já que eu não conseguia fazer força para ajudar a expulsá-lo, então eu faria força para impedir que “ele voltasse”, imaginei que o manteria na mesma posição até a próxima contração e aí ela faria o resto…

E foi neste momento que lembrei em apelar para a ajuda dos céus… E acho que nesta hora a gente começa a lembrar de todos os santos, anjos, entidades e seres de luz, fechei os olhos, mantive a boca aberta gemendo, e comecei por Deus, pedi que Ele permitisse que meu filho nascesse bem e saudável, lembrei de São Francisco de Assis, ser humano lindo de vida admirável cujo nome escolhemos para nosso filho, lembrei de Santa Clara, a contração veio, me senti queimando, senti a força da contração fazendo o meu filho sair, pensei em Santa Clara quando ainda era apenas uma jovem cuidando dos mais necessitados de sua cidade, pensei em Santa Clara como freira e em quantas mulheres ela deve ter ajudado a parir… E em pensamento gritei por ela como se eu mesma fosse uma dessas mulheres que ela auxiliou…

Uma dor intensa… me senti queimar e o nome de Santa Clara em minha mente, coração… Um instante mais, uma pressão, achei que gritei Clara, uma onda poderosa a jogar minha cabeça para trás, um instante que parecia eterno, e… de repente um alívio, meu corpo relaxou, a dor, a pressão, o ardor, a tensão, TUDO desapareceu numa fração de segundo!! Ouvi a voz do Renato: Nasceu Francisco. A Hilda marcou a hora: 16:25hs. Meu trabalho de parto durou 8 horas, como eu havia imaginado!

Instintivamente abaixei minha cabeça, a procura do meu filho!! E alí estava ele, no meu colo, o abracei, o aninhei, senti sua pele, seu corpinho, o peso do seu corpinho em meu peito, vi seus olhos abertos, lindos e profundos, cabelos fartos e escuros, pele rosada, e eu gemi, senti seu cheiro, queria falar e não conseguia, não sabia mais falar, só gemi, continuei sentindo seu corpo, juntos naquele instante, juntos para sempre, como deve ser: mãe e filho unidos de forma indissolúvel!!

Olhei e o Renato estava ao meu lado me fazendo carinho, seus olhos vermelhos de chorar, queria falar com ele, queria apresentar o filho, dizer tantas coisas, mas não conseguia, não precisava, nossos olhos diziam tudo!!

Mas eu queria dar as boas vindas para nosso filho, até que consegui falar:

– Oi Francisco!!

E ao ouvir minha voz ele soltou um som, não foi um choro, ele não chorou ao nascer, resmungou, e ao ouvi-lo pela primeira vez eu disse chorando e o abraçando mais:

– É a mamãe!!!

“Mamãe” com essa palavra queria dizer a ele que eu estava alí, e que sempre estaria alí por ele e para ele!!

Daí consegui falar, as frases seguintes foram:

– Olha seu pai!!!

– Vc vai ter uma vida tão linda meu filho…

O resto do que falo para ele está registrado na gravação!! Queria que ele soubesse o quanto o pai dele e eu valorizamos a Vida e a oportunidade de viver neste mundo, e foi o que eu disse para ele…

Ficamos alí, os três, finalmente uma família, finalmente a NOSSA família, tão sonhada, desejada em nossas vidas!! Os três juntos, vivendo um momento que estará marcado para a Eternidade!!

O Francisco calminho, ele mesmo cuspiu as melecas que estavam na sua boquinha e eu ajudei, ninguém enfiou nada no nariz dele, não foi sugado, aspirado, nada disso!!

Depois de algum tempo, a Márcia a a Priscila prepararam para que o Renato cortasse o cordão!!

E tentaram colher o sangue do cordão pois precisávamos mandar para um laboratório para sabermos qual o tipo sanguíneo do Francisco pois meu RH é negativo e se o dele não fosse eu precisaria tomar a vacina anti RH! Foi colhido o sangue do cordão para que o Francisco não precisasse ser picado, tudo pensando no bem estar dele ao máximo…

Daí a Márcia e a Priscila disseram que eu já poderia sair da piscina para a expulsão da placenta, e para me examinarem, ouvi quando a Priscila disse para o Renato tirar a camisa que o Francisco sairia do meu peito e ficaria sendo aquecido no peito dele, contato pele com pele!!

Achei perfeito, nada de incubadora, nada de ambientes esterilizados, roupas especiais, do meu colo o Francisco iria direto para o colo do pai, e sem nada entre eles, apenas um sentindo o outro…

O Renato foi deitar na cama com o Francisco já sobre o peito e com uma toalha aquecida sobre ele, me ajudaram a ir deitar também, e a Márcia ajudou na saída da placenta! Disse que ía examinar meu períneo!

Pensei que então saberíamos o tamanhos da laceração!! Ela olhou e disse que eu tinha tido uma laceração “ridícula” e que não precisaria de nenhum ponto, chamou a Priscila para confirmar, e eu vendo mais uma vez a perfeição do nosso parto em todos os detalhes, não precisaria de sutura, nada de artificial, a pequena laceração que tive iria sarar sozinha, o que de fato aconteceu pois cicatrizou dois dias depois!

Então a Márcia pegou o Francisco e o trouxe para mamar, impressionante a capacidade de sugar que ele teve! O Renato e a Hilda foram ao laboratório levar a amostra de sangue para ser examinada!

E eu fiquei alí com o Francisco em meus braços, a Márcia e a Priscila dando um jeito na casa, a Márcia perguntou se eu queria comer alguma coisa, lembrei do sorvete delicioso que tinhamos comprado para o parto (eu poderia ter comido o que quisesse durante todo o trabalho de parto, mas não tive vontade, me deram água de coco e isso eu bebi, mas comer eu não quis, mas naquele momento eu queria o sorvete). A Márcia pegou para mim, e como eu estava abraçada com o Francisco para eu não ter que soltá-lo ela me deu o sorvete na boca…

Não quis tomar banho, resolvi esperar o Renato voltar, pois iríamos pesar o Francisco e depois eu tomaria banho!

Assim foi feito, quando o Renato chegou é que fomos pesar o Francisco, 3.190 kg e 52,5 cm, um meninão!! O Apgar dele foram duas notas 10! Perfeito!!! Depois o Francisco foi apenas limpo suavemente e o vestiram com uma roupinha quentinha!! Ele só tomaria banho no dia seguinte, afinal, para quê incomodá-lo? Ele não precisava de banho, precisava de colo e carinho! E foi o quê ele recebeu da tia Hilda!!

E eu fui tomar banho!! Estava me sentindo ótima, sem dor, com uma vitalidade incrível!!

A Márcia perguntou várias vezes se eu estava bem mesmo, se precisava de ajuda, se eu não estava com tontura, e eu disse que estava ótima!

Ela ainda disse para eu não tomar o banho muito quente, eu a tranquilizei! Sentei no banquinho que estava dentro do box, e liguei a água bem quente, do jeito que gosto, para relaxar!!

Daí fui me sentindo mole, mole, minha cabeça começou a pesar e eu pensei que ía desmaiar, levantei me apoiando no box e lembro de ter chamado a Márcia para avisar que ela tinha razão sobre a água quente…

Só lembro de ouvir o Renato me chamando bem longe… Abri os olhos e ele estava me apoiando, estávamos no chão do banheiro, e eu disse:

– Eu estava sonhando…

Foi aí que me dei conta que havia desmaiado!! Claro, minha pressão caiu com a água quente… Perguntei para o Renato se eu tinha ficado desacordada muito tempo, pois a minha impressão era que eu tinha ficado horas desmaiada, pois acordei tão relaxada, tão descansada, sentindo um torpor tão agradável… E o Renato, brincalhão como sempre, respondeu:

– Não faz muito tempo não, o Francisco só está com um ano e meio…

Todos rimos!!

A Márcia me ajudou a colocar a roupa, e fui para a cama!!

Nisto já estavam se preparando para irem embora, a Priscila voltaria na manhã seguinte para nos examinar de novo!!

Cismei em arrumar as coisas do quarto do Francisco em seus lugares novamente, claro que o Renato e a Hilda disseram para eu não fazer esforço, mas para mim aquilo não era esforço, fui lá, arrumei o berço, a cômoda e aí fiquei satisfeita!!

Mais tarde, quando estávamos só nos três em casa, já nos preparando para dormir, eu estava no banheiro escovando os dentes e num relance lembrei do sonho que estava tendo quando desmaiei. Corri emocionada para contar para o Renato:

Sonhei que estava grávida, com roupas bem antigas, estava num convento de paredes de pedra, e na minha frente um monte de freiras me recebendo, bem no meio delas uma deu um passo à frente, sorriu e em seu sorriso vi todo o amor do mundo, vi toda a confiança, toda a paz da força de uma mulher, e senti uma imensa coragem, ela era jovem, muito bela, ela era, no meu sonho, SANTA CLARA!!

E assim fomos dormir, os três abraçados, felizes, realizados, depois de um parto perfeito, do jeito que sonhamos, desejamos e planejamos, tudo de forma natural, e muito naturalmente pai e filho adormeceram, e eu ainda fiquei um pouco mais de tempo acordada, olhando para os dois, agradecendo a Deus, e pensando que tudo de mais precioso, belo e que eu mais amava nesta vida estava alí, do meu lado na cama…

AGRADECIMENTOS

Ao “tio” Ric ( Ric Jones) que num momento escuro de nossa trajetória foi como um farol a iluminar o rumo certo para que chegássemos à terra firme, à Partolândia acho eu…

Dr. Jose Vicente, que ao aceitar ser o nosso “Plano B”, nos deu a tranquilidade que nos faltava para que realmente não precisássemos de “Plano B”.

Hilda, que acreditou no nosso amor e na minha vontade de fazer o Renato feliz nesta vida, e topou participar deste momento mágico que foi o nascimento do Francisco!!

Priscila, que com sua alegria confiante e seu carinho por nós fez a diferença, nos conhecemos pessoalmente só na véspera do nascimento do Francisco, mas nos atendeu e esteve conosco como se nos conhecesse a tempos…

Márcia, com tranquilidade, experiência e muito carinho nos acompanhou toda a gestação, dizer “só” obrigado é vergonhoso, foi um anjo em nossas vidas, a tornar possível o sonho de um nascimento simplesmente lindo para nosso filho… Não há como agradecer isso… Sinto-me grata a parteira que te ajudou no nascimento da sua filha, a que despertou em você o desejo de ser parteira tb… Graças a ela vc se tornou a pessoa que nos ajudaria em nosso sonho…

Agradeço a todos os amigos e amigas virtuais!! Da Lista Parto Nosso e das comunidades do orkut!! Não posso citar nomes, sobe risco de esquecer algum!! Cada mensagem antes, durante e depois do nascimento do Francisco nos emociona ainda hoje, vocês provaram aquilo que já acreditávamos: amizade é uma manifestação terna do Amor, e tudo que é belo e verdadeiro rompe fronteiras e não exige explicação!!

Renato… Meu amado, meu marido, meu amante, meu amigo, meu companheiro, minha respiração e minha inspiração… Sem seu apoio nada realizaríamos… Vc é nosso guardião, eu me sinto protegida e tranquila com você e sei que nosso filho também se sente assim!! Meu amor… Você encheu minha vida de luz e alegria, agora estamos plenos, e o nosso Amor nos guiará pela Eternidade! Te amo…

Francisco… nosso Raio de Sol, veio iluminar nossos dias, nos dar a honra de sermos seus pais, nos dar o privilégio da sua companhia em nossas vidas!! Obrigada meu filho por aceitar vir para este mundo descobrir junto com a gente suas belezas, desafios e oportunidades!! Obrigada por confiar em nós para cuidar de você por um tempo!! E você vai sim ter um vida linda meu filho…

Deus, agradeço por ter me livrado de mim mesma e realizado todos os meus sonhos depois de tê-los melhorado de forma que eu nem era capaz de imaginar…Nascimento do Francisco

48 comments to Nasceu nosso Raio de Sol!!

  • Virginia Zech

    Linda história…Lindo parto! Fiquei mto emocionada. Tenho um menino que vai fazer 3 aninhos, e com certeza, quero que o meu próximo filho nasça cheio de amor, num ambiente calmo, tranquilo, assim como o Frnscisco nasceu. Obrigada por dividir sua história e servir de inspiração.
    Um bjo carinhoso, e que Deus continue abençoando sua vida, sua família, e principalmente o Francisco. 🙂

  • Nicolino e Ottavia

    A vida è linda:mais linda quando se ama

  • Nicolino e Ottavia

    A vida è linda;mais linda quando se ama.

  • Luzinete
    Foi o Parto mais lindo que assisti até hoje. Felicidades e Muito Amor
    Cida Nasser

  • Muito lindo! Mto emocionante! Só me encoraja para trazer meu filho dessa forma também!!

  • Oi Luzi,
    Participo do Nove Luas e agora, qd chegou seu e-mail, vi o endereço do seu blog. Que lindo seu relato! Nada no mundo é mais abençoado que o amor! Que oportunidade incrível temos de experimentar isso como seres humanos, não é? Também penso como você e tb divido minha vida com um companheiro especial que me faz lembrar disso sempre e que amo muito. Minha dpp é 05/mai. Estamos aqui em casa imaginando como será, quando…essas coisas. Nosso parto vai ser como o seu. A Márcia, a Pri e a Marcelly vão nos auxiliar, em casa. Estamos muito felizes desde que tomamos essa decisão há muitos meses atrás. Como você tb nunca perdi tempo pensando em como deva ser a dor. Isso não me interessa. Vai ser como tiver que ser e vai trazer nossa filha da forma mais legal que ela pode vir ao mundo 🙂 Bom, já falei demais rs Só queria que soubesse que amei seu relato. O Francisco já deve estar grandinho! Nos falamos no Nove Luas então. Qd a Liv nascer conto a todas vcs e faço meu relato de parto. Abraços e MUITO amor sempre pra sua família!!

  • Nossaaaaa, que emocionante este momento que vc viveu, assim como vc tbm desde pequena sofri com a falta de atenção, talvez amor tbm, mas da demonstração que faltava deste amor….. e como vc tbm quero dar mto amor, carinho e atenção para meus filhos, tenho 22 anos e quero mto engravidar, tenho fé em Deus que Ele não vai demorar em me dar está benção, pois tenho ovarios policisticos, sei que virá na hora certa, e assim como vc quero fazer meu parto exatamente como o seu, em casa, com a familia, com uma doula e um plano B… Desejo felicidades a familia.

  • Que coisa mais linda!
    Cheguei a seu blog através do youtube… quero engravidar esse ano e pretendo fazer um parto natural na agua… Vi vários vídeos, mas nenhum me emocionou tanto quanto o seu. Parabéns ao casal pela união e força mutua! Francisco é uma criança muito amada e abençoada por ter pais tão iluminados.

    Parabéns!

  • Carla

    Nossa, parabéns! Não só pelo parto e pela força, mas por ter colocado esse vídeo e esse relato tão detalhado, tão humano aqui! Estou na 16ª semana e quero um parto natural, e esse vídeo e esse relato foram muito importantes pra mim.

    Obrigada! E muita saúde e felicidade pra vocês três!

  • Ana Carolina feraboli

    Não canso de ler o seu relato,e sempre que leio me emociono.Como é linda e sábia a natureza.Tudo acontecendo no tempo certo.Lindo,lindo!!!Parto digno!

    beijocas

  • Dani Moura Mãe da Flávia Valéria

    nossa, quanta garra, te admiro, seu relato foi muito importante para a minha decisão definitiva…Muito obrigado…

    Saúde e muita paz pra vc, seu marido e para o Francisco….

  • Zi Botelho

    Emocionante, Completo, Forte e Doce. Este foi o relato de parto mais minucioso que já li. Me emocionei bastante com sua história e a chegada do tão esperado Francisco, lindo nome. Parabéns e que Deus lhe proporcione tudo de melhor e do bem prá vocês. Um forte abraço Ísis Botelho

  • Arlene

    Maravilhoso!! Nao tenho nem palavras p descrever!! seu relato e o video me levaram as lagrimas!!!! Felicudades a essa maravilhosa familia!! vc me encorajou a continuar sonhando c um prto domiciliar!! bjsss

  • oi…parabens pelo nascimento do francisco e pela tua força e coragem para não desistir
    é por esta e outras razões tbm que desejo( e que DEUS me ajude) ter um parto natural, ou pelo menos com o minimo de entervenções…
    parabens novamente e que DEUS ilumine tua familia sempre…
    ass: luzane(tentando engravidar).

  • Neliane

    Estou chorando em bicas….muita emoção no vídeo!!
    Nem consigo fazer um comentário a altura nesse momento!
    Saúde Para a Família!
    bjos

  • Luh

    Oi Luzi, nunca nos falamos, mas cheguei ao seu blog por meio do youtube… Eu com minha pequena (de 5 anos) estavamos vendo videos de parto, e por acaso achamos o seu. Mas me chamou atenção por ser um PN em casa… queria muito ter podido fazer da mesma forma. Mas insisti em te-la no hospital (com 17 anos não sabia mto) onde quase deixaram que ela fosse pro céu. Hoje, vejo que poderia ter sido diferente.
    Queria te dizer, que estou chorando pelo vídeo, coisa mais LINDA, realmente um momento de DEUS.
    Parabéns pela sua força! 🙂

    Beijos na familia maravilhosa.

  • Cibele

    Luzi,
    Parabéns pela força e determinação! Quero muito ter meu(minha) segundo(a) filho(a) de parto natural. Não fui capaz na primeira gestação por não ter sido em nada orientada para isso. Cheguei a apenas 3cm de dilatação com 5 horas de dores intensas e a velha frase: “vamos fazer uma cesareana, sua filha já pode estar em sofrimento assim como vc.” E só pensei que não queria que a minha filha sofresse. Não tinha a mínima consciência de controle do meu corpo e eu estava naquela bendita posição deitada de costas. Era muita dor, mas eu a sentiria, tranquilamente, de novo, tendo a certeza de um belíssimo parto natural, assim como foi o seu. Gostaria de trocar idéias com vc sobre isso tudo. Adorei. Desejo toda a felicidade e saúde do mundo para vc e sua família.

  • Helena de Ligório Villas Bôas

    Luzinete, sou sua fã. Não tinha visto seu vídeo, é lindo, me fez chorar emocionada. Que Deus continue sempre abençoando sua vida e da sua família.

  • Luzi,
    Acabo de ler teu relado, li em etapas, estou gestando, então tenho muito sono…
    Me emocionei muito, primeiro li, depois vi o vídeo, não contive as lágrimas!
    Parabéns pela tua iniciativa e principalmente pela tua força…
    Muita saúde pra essa familia, que Deus abençõe muito vocês.
    bjo

  • quel

    Simplesmente lindo, emocionante seu relato!
    Me emocionei mesmo, chorei, fiquei sem palavras!
    Me imagino vivenciando td isso um dia!
    Sou nova ainda, apenas 23 anos, e se for ter um baby planejado, so daqui uns 10 anos. Mas com certeza sera humanizado e domiciliar como o seu!
    Meus parabéns que Deus abençoe sua familia linda!

  • cassia

    parabens….
    chorei muito ao ver seu momento maravilhoso!
    mas chorei de alegria… muito emocionante!
    infelizmente minha princesa nasceu de cesarea, pois o cordao estava dando voltas no pescoço.. ai preferi nao correr riscos!
    mas meu sonho era ter um parto como o seu!
    parabens!

  • Gabi

    Impossível não chorar com a história e o vídeo do parto do Francisco.
    Seu texto me fez pensar em muitas coisas da minha vida e repensar a minha vida.
    Obrigada, Luzi. Deus colocou você no meu caminho através deste site na hora em que eu precisava.

  • Karla

    Nossa! Que lindo!
    Nunca chorei tanto…Emocionante! parabéns!
    Queria muito ter um PN tão lindo quanto foi o seu, na próxima gravidez.

    Que DEUS abençoe grandemente o francisco e vcs.
    Bjs

  • cintia

    ola luzinete!!!
    que linda historia de amor… DEUS te abencoou mto e vai continuar abencoando…
    seu parto foi perfeito lindo maravilhoso humanissimo!!!
    espero ser abencoada assim no meu tbm
    bjos mta felicidade para sua linda familia.

  • Mel

    Chorei lendo seu depoimento.
    Já li muitos pela internet e posso dizer com sinceridade que o seu foi o mais emocionante.
    A uns meses comecei a pesquisar sobre partos, e decidi que o meu será (se possível) em casa e na água.
    Mesmo ainda não estando grávida, meu esposo me apoiou e adorou a idéia de poder estar comigo e cortar o cordão do bebê.
    O único problema é que eu moro no interior (Cachoeiro de Itapemirim – ES) e por aqui não temos suporte para parto domiciliar e na água.
    Mas mesmo assim, não vou desistir do meu sonho.
    Quando for a hora, terei meu bebê como as mulheres antigamente faziam, NATURALMENTE.

    Parabéns pelo novo membro da família.
    Paz, saúde e muito amor para todos vocês!

    Abraços

  • Karla

    Luzinete, muito lindas suas palavras, demonstrou a coragem, amor, sabedoria. Demonstrou claramente que seguindo seus intinstos a mulher consegue ser senhora de seus partos. Não tive este prazer, pois acredito que ao término da experiência podemos chamá-la assim, esse rito de passagem que é o parto. Tive minha filha através de cesárea. Estou programando meu próximo filho, e uma das coisas que quero é pelo menos tentar um parto normal, humanizado. Como você, me darei o direito de mudar de idéia, caso no momento, não tenha condições psicológicas ou físicas de ir até o fim. Mas acho que o pior de tudo são as cesáreas marcadas. A mulher não ter oportunidade de entrar em trabalho de parto, de sentir as contrações, as dores, e ela própria determinar ou não se são suportáveis ou desnecessárias. Cada um tem sua própria verdade.
    Parabéns pelo nascimento do Francisco, parabéns por ter tido coragem e força de lutar por seus sonhos. Um beijo para a família

  • Binny

    Lindo o seu parto! Me emocionei!
    Que momento maravilhoso!

  • oi adorei ver e ler sobre o nascimento do francisco, foi tudo muito lindo espero que sejam muito felizes com esse lindo garoto, parabéns para toda equipe principalmente para vc mamãe por ter dado a luz ao francisco, e o melhor,um parto humanizado.

  • Thaylane

    Bom, eu não sou mamãe ainda, mas por acaso estava perambulando em orkuts alheios, e terminei encontrando uma das comunidades que você, Luzi, faz parte, de início me interessei pelo vídeo, porém, ao ler a primeira parte do texto, chamou-me a atenção a riqueza de detalhes, a vivacidade com a qual descrevia a tão esperada chegada de Francisco; resultado: chorei, mas chorava e sorria de alegria por ver tanto amor, seja em palavras, seja visualmente. Claramente se vê uma felicidade e uma espera aí lindas, lindas. Parabéns mamãe, parabéns papai, parabéns todo mundo que participou desse momento único e por documentá-lo; sem dúvida esse Francisco será muito feliz. Achei muittoooo muito lindo. Deus os abençooe.

  • Marcao

    Aê Rê nasceu o Baby… muito sucesso pro garoto e pro pais corujas…
    bjão…e feliz ano novo

  • Juliana Mesquita

    Parabéns, muito emocionante seu parto
    foi lindo, chorei na hora q vc conversa pela primeira vez com o Francisco
    Tens uma linda família, parabéns

  • Gisele

    Luzinete e Rênato, fiquei emocionada ao ver o vídeo do parto do Francisco…meu olhos encheram de lágrima com as boas vindas que ele recebeu…que lindo!
    Luzinete, parabéns pela coragem e por não ter desistido, mesmo diante de tanta dor, do sonho de vocês de realizar o parto natural.
    Felicidades Sempre para essa linda Família.

  • Débora Lopes

    Queridos Lusi,Renato e Francisco,
    Primeiramente gostaria de parabenizar pelo lindo parto relatado de forma quase poética regado com muito amor e respeito à natureza. E tambem quero agradecer ao apoio e carinho demonstrado no último encontro no sábado. Obrigada por deixar eu beber nesta fonte de coragem e carinho que vcs têm disceminado baseado na linda experiencia vivida. Nesta semana fui a CPS e achei maravilhoso… acho que a Mariana tambem gostou. O tratamento foi impecável, as explicações e atenção nao chegam aos pés do atendimento de qualquer dos 06 médicos q já passei (exceto a Dr. Betina). Passei em consulta e o proximo retorno é dia 24/12. Nesta data o Renato (pai da Mariana) já estará aqui em SP. Espero ter coragem e determinação para manter este plano da CPS até o final. Que eu nao permita que a insegurança do meu marido e minha mãe me contamine e eu consiga ouvir o meu coração… sem medos, insegunranças… acreditando nos profissionais deste local assim como nas respostas do meu corpo e na fé em Deus de que a Mariana vai nascer da melhor forma possivel, sem riscos ou sofrimentos.
    Um beijo no coração de vcs.
    Débora da Mariana – 37 semanas

  • Li o relato de parto no site do Primaluz e não pude deixar de passar aqui. Fiquei muito emocionada. O vídeo também é lindo!
    Meu filho Arthur nasceu nessa mesma banheira que o Francisco, em companhia das minhas amadas parteiras Márcia e Priscila.
    Parabéns pela linda história de vocês, que a vida do Francisco seja sempre abençoada, assim como começou.
    Muito leite e amor!

  • Dany

    Seu parto foi iluminado….E os momentos em que vcs ficam com o Francisco conversando foi simplesmente belo.Parabéns…Muito lindo a chegada desse anjo!
    Ahhhhhh,esqueci de falar que foi o video de nascimento mais lindo que ja vi.

  • Marisol

    Lindo a sua história, me emoecionei de verdade.

    Lagrimas rolam ao ver algo tão bonito e especial.
    Francisco terá uma vida inda pel frente.

    Seja bem vindo ao mundo francisco.

    Que Desu abençõe essa família!

  • vanessa

    olha me emocionei com a historia do seu parto, e com o video…o som dos batimentos ja me fizeram chorar….estou gravida de quase 20 semanas, anciosa por este momento…
    porem eu não tenho coragem eu acho do parto ser assim como o seu, mas eu sei q qd é chegada a hora Deus nos da forças p superar td, e neste caso a recompensa é sem tamanho ” vale a pena sempre !!!

  • Thay (da parto nosso)

    Que lindo o vídeo. Finalmente vi. Vc me arrancou lágrimas com essa linda recepçào ao Francisco.

    Mil vezes parabéns e sejam MUITO felizes na vida. Conheçam muitas cachoeiras e cheirem muitas flores.

    bjs de Belém/PA.

  • jakcele

    PARABÉNS,FOI UM DOS VIDEOS DE PARTO MAIS EMOCIONANTES QUE JA VI.
    VER UM BEB NASCER É ALGO DIVINO,ESTOU GRAVIDA DO MEU TERCEIRO FILHO E ESTOU DE 13SEMANAS MUITO ANSIOSA POR ESTE MOMENTO.BEIJOS E FELICIDADES A VCS!!!

  • Patricia

    Lindo, perfeito, maravilhoso e todos os adjetivos que me sumiram do pensamento agora!
    Estou sem palavras, sem a menor noção do que dizer.
    Só sei que estou emocionada, como há tempos não ficava. Chorei e sorrí lendo.
    Parabéns querida, parabén pelo parto maravilhoso, parabéns por escrever com tanta sabedoria, parabéns pelas palavras doces, parabéns pelo Francisco lindo, parabéns pelo Renato, parabéns pela sua vida, parabéns pela sua nova família!

    Beijões, e muita saúde!
    Pati.

  • Jussara

    Olá, família!
    Estou na 40ª semana e aguardando a saída do Pedro em um parto humanizado também!
    Seu relato é emocionante e muito bom para continuar dando forças e traquilidade para quem vai estar neste mesmo momento daqui a pouco!
    Que vocês sejam (continuem sendo!) uma família feliz, unida e chea de graças!

  • Newriton

    Tudo lindo !!! Sera inspiraçao as minhas pacientes – indicarei seu relato como exemplo !!!Sem palavras -Parabens mesmo !!!! Tenha uma familia linda !! (Perdoe seus pais!)
    – se possivel – qual CD e musica do video ? mande por email por favor
    – Att Dr Newriton Alcantara

  • juliana pena

    Parabéns Luzi! Venho acompanhado sua tragetória… muito lindo seu relato, seu parto, emocionante, não tem como não chorar!!! Felicidades!Bençãos!

  • Aninha

    Lindo demais Luzi!

    To chorando até afora!

    Ainda escrevo um relato como o teu,rs!

    Saúde e muita felicidade pra toda a família!

  • katia

    que lindo, Luzi!
    emocionante como ver vc ao vivo contando esse mês… obrigada por compartilhar esse momento tão especial da vida de vocês conosco.
    beijos]
    Katia

  • Jussie

    Parabens pelo seu nenen. Um nenen abençoado, com certeza. SEu parto foi bonito, deu tudo certo.

    Mas eu preciso lhe contar uma coisa: tive duas cesas e posso te garantir que tudo que vc sentiu, eu tb senti.Cheguei a lamber o meu segundo nenen pois foi uma cesa humanizada.

    Acho que ao darmos à luz os nossos rebentos, nascemos como mãe. Eu nasci como mãe no primeiro parto e renasci no segundo. Tb foi tudo lindo, meu marido é meu companheiro fiel e maridaço há 31 anos. Sempre ao meu lado. Engravidamos e ele não arredou pé de mim. A minha recuperação das duas cesas foram perfeitas pois eu sempre tive o apoio dele ao meu lado.

    Lendo o seu relato, estou me resignificando. Eu me vejo em vc. SEjam felizes.

    Ah…………..eu sempre achei que parto vaginal é doloroso e vc descreve com tanto detalhes, a sua dor, que eu acho que estou sentindo cólicas……rs

    Beijos

  • Helena

    Nossa, vc não tem noção do esforço que estou fazendo pra segurar o choro, afinal, estou no trabalho, rsrsrsrs.
    Asbolutamente EMOCIONANTE. Li da primeira à última palavra com os olhos grudados no monitor, ansiosa pelo desenrolar da situação, como se eu estivesse assistindo a um filme, ou lendo um livro novo, e isso porque eu já sei um pouco da história do nascimento do Francisco, rsrs. Tudo lindo demais. Mas o mais impressionante de tudo pra mim, é vc ter lembranças tão claras dos momentos, dos detalhes, dos seus pensamentos, mesmo diante de tanta dor. Incrível!! Estou ansiosa pelo vídeo, acho que agora só em casa mesmo, pois aqui falta um aplicativo pra eu abrir o youtube.
    AMEI esse relato. Lindo, lindo, lindo. Vcs são demais, que sorte teve Francisco.
    bjs!
    Helena

  • Alessandra

    Francisco

    Começo meu comentário com uma frase de Santa Clara:
    “Suportará padecimentos, mas será defendida por minha força”

    Essa frase é para sua mãe, essa mãe (que por palavras dela) não precisei romper fronteira para amar e admirar.

    A oração abaixo é para você guardar de recordação deste momento, não gosto de orações prontas, mas esta fala de um solzinho que por sensibilidade se enquadra totalmente a você, meu sobrinho Solzinho!

    “Santa Clara,
    cheia de claridade,
    Irmã de São Francisco de Assis
    intercede pelos teus devotos
    que querem ser puros
    e transparentes
    Teu nome e teu ser
    exalam o perfume
    das coisas inteiras
    e o frescor do que é novo
    ou renovado.
    Clareia os caminhos tortuosos
    daqueles que se embrenham
    na noite do próprio egoísmo
    e nas trevas do isolamento.
    Clara, irmã de São Francisco,
    coloca em nossos corações
    a paixão pela simplicidade,
    a sede pela pobreza,
    a ânsia pela contemplação.
    Eu te suplico, irmã Lua,
    que junto ao Sol de Assis
    no mesmo céu refulge,
    alcança-nos a graça que,
    confiantes te pedimos.
    Santa Clara, ilumina os passos
    daqueles que buscam a claridade!”

    Que assim seja meu pequeno Sol que já esta entre nós…
    … Que Santa Clara, São Francisco e todos os nossos benfeitores espirituais te protejam e ilumine todos os teus passos em busca de um futuro claro, repleto de luz e muita paz!
    A Tia Ale pra variar chorou (preciso começar a ler teu blog em casa, rs), chorou por toda emoção que tua mãe passou em cada palavra, chorou por todo significado que a palavra FAMILIA tem para a minha vida.
    Francisco, acompanharei tua jornada por todo tempo que Deus permitir.
    Se ele nos aproximou respeitarei eternamente e agradecerei por esse presente.

    Acompanhar tua história é pra mim a solidificação da importância da VIDA e do milagre que é VIVER!
    Obrigada por você e sua família existirem na minha vida e por hoje fazer parte dela.

    Um beijo (hoje é beijo, quando vc tava na barriga da tua mãe eu mandava carinhos) enorme nessa sua bochecha gorda e rosada, um beijo pra sua mãe e pro seu pai, uma afofada na Lua e na Fumaça.

    É com a oração abaixo que eu encerro o evangelho no meu lar todo domingo, e é com ela que hoje vou encerrar este comentário.

    “Senhor!
    Fazei de mim um instrumento da vossa paz.
    Onde houver ódio, que eu leve o amor.
    Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
    Onde houver discórdia, que eu leve a união.
    Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
    Onde houver erro, que eu leve a verdade.
    Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
    Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
    Onde houver trevas, que eu leve a luz.

    Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
    consolar, que ser consolado;
    compreender, que ser compreendido;
    amar, que ser amado.
    Pois é dando que se recebe.
    É perdoando que se é perdoado.
    E é morrendo que se vive para a vida eterna.”